O Perceptível Oculto

O pensamento não está no cérebro, assim como o sentimento não está no coração.
A razão, a sensibilidade e o entendimento são inerentes à natureza daquilo que verdadeiramente pensa, sente e compreende. Deste modo, as mais belas e profundas palavras não falam simplesmente, elas saem do íntimo de quem as profere e tocam o todo de seu interlocutor. Palavra, portanto, não quer significar apenas a verbalização de sons ou a concatenação de símbolos gráficos, mas toda e qualquer forma de expressão do ser, por conseguinte, tudo aquilo que exprime a essência eterna e imortal do ente vivente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário!