O Infinito Desconhecido

Há quem diga que a Tua Palavra está em páginas escritas.
Enganam-se imensamente...
Como finitizar o Infinito, mensurar o Imensurável?

Tua Voz é silenciosa, fala sem palavras.
Tu te manifestas e te ocultas em tudo que existe...
A brisa cálida é o Teu abraço,
O Sol é a Tua representação,
O canto da Vida é a Tua música.

Que mistério doce é a Tua natureza,
Preenche meu coração de Vida,
E transborda pelos meus olhos ainda cegos para Ti.
Quando fito a abóbada celeste fico mudo de espanto e admiração.
Aqui embaixo, a natureza me deslumbra e me fascina.
Que maravilhosa criação!

Tu és o Pai que me guia,
Tu és a Mãe que me afaga em Teus braços.
Tu és tudo isso além disso e nada disso...
Complexamente simples, simplesmente complexo...
Impossível concebê-lo em palavras.

Dizem que minh'alma é Tua imagem e semelhança...
Mas quando me olho no espelho, só vejo limitações.
Pouco sei sobre Ti, pois conheço quase nada sobre mim...

Esperança


Sou o impulso que faz suas pernas caminharem para frente,
Sou o guia dos seus passos,
Sou o seu roteiro,
Sou o seu destino.Sou o ar que você respira,
Sou o sangue correndo nas suas veias,
Sou o que faz seu coração bater acelerado.

Sou o vento que enxuga suas lágrimas,
Sou a lágrima que umedece o seu sorriso,
Sou o sorriso que ilumina o seu semblante.

Sou sua força quando está fraco,
Sou o incentivo para a sua luta,
Sou o mestre que ensina a lutar.

Sou sua paz na guerra contra o desânimo,
Sou sua arma contra o pessimismo,
Sou seu escudo contra a tristeza.
Sou sua sombra no calor das aflições humanas,
Sou sua calma nas adversidades,
Sou seu conselheiro amigo.

Sou a certeza do amanhã,
Sou a luz no fim do túnel,
Sou a chama acesa da felicidade,
Sou a única que não deve morrer...
Sou a ESPERANÇA!

Ecos da Eternidade


Cada segundo... tempo que corre célere
Sopro de vida
Ecos da Eternidade
Desencontros involuntários
Reencontros sob o véu do esquecimento
Dor que machuca um coração
Sorriso que enobrece a alma
Lágrimas como um rio correndo sobre a face
Semblante refletindo sonhos frustrados

Onde habita a Verdade?
No vento ou na chuva?
Na brisa ou no sol?
No céu ou na terra?

Sem rumo e sem destino
Sozinho num mar de gente
Aonde foi parar a alegria?

No silêncio surge a paz
A paz sem explicação
Nas sombras resplandece a luz
Lâmpada de amor e gratidão
Sem palavras e sem dor
Viver é um paradoxo lógico
O óbvio imponderável

Rosto do Invisível... o Infinito
Universo de possibilidades
Eternidade dentro de mim...

Amor Imponderável


  Em meio à multidão, procuro inutilmente a cumplicidade do seu olhar.
  Seus olhos... sinto falta do brilho sereno e doce que emana das portas de sua alma...
  Não posso ver seu rosto, embora inúmeras vezes eu tenha jurado enxergar seu sorriso num lapso de delírio onírico.
  Um sonho acordado ou um pesadelo de ilusão?
  Tanta falta me faz, uma saudade intensa oprimindo meu peito...
  Você está tão longe e ao mesmo tempo tão perto...
  Invisivelmente palpável como o ar entre meus dedos...
  Para onde quer que eu vá me afasto e me aproximo de você.
  Habitante do meu coração, nem sei se você existe,
  E me pergunto se algum dia te aquecerei com o calor do meu abraço...

Súplica ao Criador


Oh Inefável!
Como é dura essa batalha que travo dentro de mim!
Não é fácil transpor os limites que minha ignorância consciencial me impõe!
Quantas vezes desde que Tu me criaste externalizei o amor que por mim dedicas incondicionalmente?
Tenho ciência do quanto sou egoísta em esconder dentro de mim o brilho que reflete todo o Teu esplendor!
Sinto Tua essência latente em meu Ser e por esta razão tenho a certeza de que algum dia me tornarei um verdadeiro filho do Universo.
Rasgarei todos os véus que me impedem de ser aquilo que Tu me fizeste:
Luz!

Espelho Interior

Olho no espelho e lá no fundo bate uma nostalgia...
De onde vim? De onde sou?
Tenho a impressão de que já me vi em algum lugar... ou será que não?
Aquela imagem refletida sou eu? Sinto que não... então quem é?
Que paradoxo! Eu me olho e não me vejo!
Quem sou eu? Eu me conheço?
De alguma forma sei que não sou estranho mas não me reconheço...
Quem és Tu que fala comigo mesmo?
Quem és Tu, ó enigmático Eu? Eu quase sei que Tu és Eu e Eu sou Tu.
Mas estou confuso... eu me olho e não me vejo...